10/01/2019

Hermes Ricardo Machado, foi afastado irregularmente da secretaria de finanças do Sindispa, após cortar ajuda de custos dos dirigentes. Após afastamento dirigentes realizaram saques irregulares da conta bancaria do sindicato.

A diretoria do SINDSPA, o Sindicato dos Servidores públicos municipais de Apucarana, Marilândia do Sul e Rio Bom e administrado pelo agente comunitário André Joaquina, que conta em sua diretoria com a professora Tarcília de Brito Silva e a assistente infantil Meire de Brito, dentre outros, ao invés de priorizar as necessidades da categoria representada por eles, sobretudo em época de discussão salarial nas três cidades, se reúnem para deliberar atendendo apenas às necessidades pessoais de seus dirigentes.

A reportagem do Canal 38 teve acesso à certidão do SINDSPA, junto ao Cartório de Registro de Marilândia do Sul, onde o sindicato faz os registros de suas atas. Ao se inteirar do documento, após quase um mês de inúmeras tentativas junto ao referido cartório, descobrimos que na data de 8 de janeiro desse ano o sindicato registrou uma ata de uma suposta reunião extraordinária de diretoria executiva, datada do dia 19 de dezembro de 2018, onde os dirigentes presentes, segundo a ata de reunião, o presidente Joaquina, a vice-presidente, Tarcília, Meire de Brito além menção da presença da servidora Débora Tomé, auxiliar de serviços gerais da AME, decidiram pelo afastamento do Secretário de Finanças, Hermes Ricardo Machado, sob alegação de ter, o secretário, causado danos à imagem do sindicato perante os servidores ao procurar a imprensa apucaranense e de ter praticado a cisão da base territorial da entidade. Um fato que chamou a atenção de início é que na ata não consta a assinatura de Débora Tomé e sim uma quarta assinatura indicando que haveria mais um membro nessa reunião que não fora indicado, além de colocar em dúvida a presença de Débora. Na mesma ata a diretoria decidiu que Meire ocupasse as secretarias de finanças, acumulando com a secretaria geral, o que não é permitido pelo estatuto da entidade.

Na ata observa-se também clara tentativa de burlar a transparência das contas, pois o presidente André Joaquina submete a aprovação do exercício de 2017 à própria diretoria e esta consente. A mesma coisa é feita com a previsão orçamentária de 2019. O estatuto do SINDSPA determina que estas aprovações sejam feitas pelos associados em assembleias convocadas especificamente para este fim. Além disso, conforme já tinha antecipado o secretário Hermes Machado, em matérias anteriores, não há conselho fiscal e isso por si só inviabiliza a aprovação de contas e a aprovação do orçamento. O texto também faz menção ao não comparecimento de Hermes Machado nas últimas reuniões da diretoria executiva, mas o Canal 38 registrou uma semana antes que Hermes, assim como mais dois associados, Cláudia Mara Simplicio e Aparecido Dias, estiveram no sindicato para acompanhar uma reunião uma semana antes da data mencionada na ata, dia 12/12/2018 marcada e confirmada por Joaquina, ele e os demais dirigentes não participaram e sequer justificaram suas ausências.

As ausências estas e mais uma série de fatores que levaram o dirigente Hermes a suspender as ajudas de custo exatamente de André, Meire e Tarcília, Joaquina foi notificado da decisão do secretário no mesmo dia 19/12, e chegou a se recusar a receber a notificação extrajudicial.

Contudo, com a manobra, os três puderam ter acesso à conta do sindicato, que registrou um saque bancário de R$ 1.000,00 no dia 03/01/2019 e outro saque, no valor de R$ 3.300,00 no dia 7 do mesmo mês. Só para esclarecer, as movimentações financeiras só podem ser feitos com assinaturas conjuntas do secretário de finanças e do presidente da entidade, assim como emissão de cheques e demais pagamentos e afins. Como Hermes declarou a suspensão das ajudas de custo os três dirigentes não poderiam ter acesso ao recebimento da ajuda de custo sem o aval do tesoureiro. Observa-se ainda que os saques ocorreram antes do registro da ata.

Hermes também fez várias denúncias publicadas pelo Portal de Noticiais do Canal 38, contra os demais dirigentes, que iam desde a não realização de reuniões de diretoria executiva, a ausência de prestações de contas aos associados, as irregularidades quanto à composição da diretoria e conselho fiscal com relação ao número de membros, consumo elevado de combustível sem apresentação de relatório das atividades dos dirigentes, que descartaria o mau uso dos carros. uma vez que a nossa reportagem já registraram algumas matérias que davam conta de práticas ilegais com o uso dos veículos do sindicato, além de multas não pagas. O ápice da má gerência em que o sindicato se encontra foi a desastrosa condução dada pelos dirigentes à assembleia que estava marcada para o dia 09 de novembro de 2018 e não se realizou.

Hermes Machado, ouvido pela reportagem, disse ter tomado ciência dos atos após a manifestação do Canal 38 e que há várias ilegalidades nesta ata, e que ele, assim como outra dirigente componente da diretoria, a auxiliar de enfermagem Vera Lúcia de Oliveira, não foram convocadas para participar desta reunião. Além disso, segundo Hermes as acusações são totalmente descabidas, principalmente a de cisão da base territorial.

Segundo ele cisão de base é o desmembramento da base territorial de um sindicato para que seja formado um novo sindicato na mesma área de atuação do sindicato já existente. Além disso Hermes aponta não ter sido informado nem antes da realização desta reunião e nem depois da mesma, mesmo constando no documento que ele seria notificado. “É lamentável que os dirigentes, em plena época de negociação salarial, se reúnam apenas para atacar este secretário, sem ao menos rebater as minhas declarações” lamentou o secretário, que disse que irá tomar as medidas cabíveis para anular a decisão.

Hermes disse ainda, que um pedido de suspensão dos mandatos dos dirigentes envolvidos nessa manobra não está descartada.

Hermes Machado irá entrar com recurso para que a manobra praticada pelos dirigentes seja levada à apreciação dos associados na forma de assembleia, onde os servidores terão a oportunidade de exigir explicações dos dirigentes envolvidos.

O que achou desta notícia ? Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *