20/06/2014

O Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público (MP) do Paraná informou ontem (19) que cumpriu mais cinco mandados de prisão temporária.

Além da prisão em flagrante do coordenador geral do Tribunal de Contas (TC) do Paraná, o servidor efetivo Luiz Bernardo Dias Costa, na quarta-feira, durante a operação que investiga irregularidades na licitação da ampliação do anexo ligado ao prédio do órgão, em Curitiba.

Segundo o MP, além de Costa, foram detidas pessoas ligadas à empresa Sial Construções Civis Ltda. Além disso, também foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão na empresa, no TC e em residências das pessoas investigadas. Ontem, o Gaeco ainda cumpriu cinco mandados de conduções coercitivas de funcionários do TC para serem ouvidos a respeito dos fatos. As investigações foram iniciadas há aproximadamente três meses.

Conforme a apuração, o coordenador geral do TC teria recebido cerca de R$ 200 mil em propina de um empresário ligado à construtora, que venceu a concorrência pública para a obra, orçada em R$ 36,4 milhões. A prisão em flagrante teria ocorrido na sede da empresa, no momento em que Costa receberia o dinheiro. O contrato para realização da obra tinha sido assinado no último dia 2, durante as celebrações dos 67 anos do TC do Paraná.

Licitação

O certame para a escolha da empresa vencedora não foi nada tranquilo. O edital de licitação que prevê a obra de cerca de 12,5 mil metros quadrados foi publicado em 7 de novembro de 2013 e previa um custo máximo de R$ 40 milhões. A Sial venceu o certame ao apresentar a proposta de R$ 36,4 milhões, entretanto os concorrentes pediram a impugnação do edital de licitação e também interpuseram recursos administrativos questionando o processo, mas todos acabaram sendo derrubados. Fonte Bonde.

O que achou desta notícia ? Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *