12/11/2015

A Secretaria da Mulher e Assuntos da Família lançou nesta quinta-feira (12/11) o Projeto “Retalhando Sonhos”.

Resíduos têxteis são transformados em diversos produtos de artesanato e parte da renda obtida será revertida a uma entidade social. A iniciativa, que conta com a participação de cerca de 40 pessoas, é desenvolvida no Centro de Oficinas da Mulher, localizada no Jardim América.

O lançamento contou com a presença da secretária da Mulher e Assuntos da Família, Denise Canesin Machado, da diretora do Centro de Oficinas da Mulher, Mara Nicolau, e do presidente do Lar Sagrada Família, Antônio Carlos Macarrão Machado. “Os produtos verão vendidos em feiras e outros eventos, sendo que metade dos recursos ficará com as participantes e os outros 50% serão destinados a uma entidade social”, explica Denise, informando que a primeira entidade beneficiada com o projeto é o Lar Sagrada Família.

Conforme Denise, o projeto visa contribuir com o meio ambiente, sendo também uma ação de responsabilidade social. “O objetivo é cuidar do meio ambiente, dando forma e utilidade ao resíduo têxtil. Além disso, visa reunir pessoas criativas e solidárias em prol de uma instituição que precise de apoio”, frisa.

A diretora do Centro de Oficinas da Mulher lembra que a iniciativa surgiu a partir das discussões dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. “Um dos temas discutidos era o meio ambiente. Tínhamos o material que vem de doações, o pessoal que participa dos cursos de costura que desenvolvemos e a criatividade. Então, por que não desenvolver um projeto de reciclagem de retalhos?”, indaga, fazendo referência ao período em que a ideia foi concebida.

De acordo com Mara, o projeto conta com a participação de três turmas, que desenvolvem os produtos às terças, quartas e quintas-feiras, no período das 8 às 12 horas. “Elas produzem tudo o que a imaginação permitir, como jogo de banheiro, bolsas, suporte e peso para porta, capa de fogão, toalhas e serviço de mesa, entre outros”, cita.

A partir do ano que vem, as participantes do projeto também deverão visitar a entidade beneficiada. “Pelo estatuto, o Lar Sagrada Família deve abrigar até 20 crianças, mas esse número chega até 24. Venham conhecer o nosso trabalho, que envolve acolhida, o carinho, o apoio psicológico. Com essa parceria, vocês nos ajudam a abraçar as crianças”, assinala Macarrão.

O que achou desta notícia ? Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *