14/02/2019

Primeiro levantamento do ano foi menor que o anterior, apesar do período propício à proliferação do Aedes aegypti.

O primeiro Levantamento Rápido de índices para Aedes aegypti (LIRA) de 2019 em Apucarana, divulgado hoje (14) pela Autarquia Municipal de Saúde (AMS), apontou um índice de infestação de 1,8%, contra 1,9% do realizado em novembro. O resulto da pesquisa, que aconteceu entre os dias 4 e 8 de fevereiro, está acima do percentual de 1% preconizado, pelo Ministério da Saúde, mas dentro de um nível controlável, considerando que estamos vivendo o período do ano mais propício, com chuva e calor, a proliferação do mosquito da dengue.

“Além de termos vivenciado um janeiro menos chuvoso que a média, o resultado do LIRA também é fruto do trabalho diário dos agentes de endemias. A intensificação do serviço desses profissionais, inclusive, foi estendido a três finais de semana em janeiro, com foco em residências que são encontradas fechadas nas tentativas de vistorias que acontecem normalmente de segunda a sexta-feira”, avalia o diretor de Divisão de Endemias da AMS, Mauro de Aguiar.

A pesquisa do LIRA divide a cidade em oito regiões, que apresentam índice de infestação bem variado. Neste último levantamento, por exemplo, apontou a área compreendida pelo Jardim Colonial, Colégio Agrícola, FECEA, Recanto do Lago, Núcleo Habitacional Adriano Correia, 30º BIMTZ, Vila Reis e Monte Sião, como a mais preocupante, com nível de infestação de 5,3%.

Já a região do Distrito do Pirapó, Posto do Catarina, Sol Nascente, Jardim Paineiras, Jardim Inrterlagos e núcleos habitacionais João Paulo e Osmar Guaraci Freire apresentou o menor nível de infestação, de 0,2%.

O prefeito em exercício, Junior da Femac, reitera o apelo para a população manter suas residências livre de foco do Aedes aegypti, eliminando recipientes que acumulem água. A prefeitura, através da rede pública de saúde está fazendo sua parte. “Somem forças conosco na prevenção e combate a essa grave doença”, conclama Junior da Femac.

Dentro da atual ciclo epidemiológico da dengue, iniciado em agosto de 2018, Apucarana não registrou nenhuma caso da dengue. No mesmo período foram 90 notificações, com 34 resultados negativos, 2 inconclusivos, 32 à espera de resultado e 22 pessoas se recusaram a fazer o exame.

Cresce casos de dengue no Paraná

Conforme boletim divulgado na última quarta-feira (12) pela Secretaria de Estado da Saúde (SESA), um segundo município paranaense entrou nesta semana em situação de epidemia de dengue. O boletim semanal traz a ocorrência de 13 novos casos autóctones da doença em Lupionópolis, onde já existiam dois.

A cidade fica na região metropolitana de Londrina, onde o número de infectados também aumentou em 41 casos autóctones, o que significa que a infecção ocorreu no próprio município. Uraí, que já estava em situação de epidemia, apresenta 8 casos novos.

No total, o Paraná soma 288 casos de dengue autóctones (eram 193 na última semana). São 56 municípios com casos autóctones e 72 com casos confirmados, ainda que importados.

O que achou desta notícia ? Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *