24/03/2019

Violência doméstica é um dos crimes mais recorrentes. Em três casos, os homens ameaçaram matar as mulheres, quatro pessoas foram presas pela PM, neste sábado (24), em Apucarana.

O primeiro caso ocorreu às 10h22, na Rua Tókio no Jardim Ponta Grossa, a vítima, relatou aos policiais que seu convivente saiu de casa na sexta-feira (22/03), e no sábado quando ela saiu para ir ao mercado, ao retornar, constatou que o seu convivente arrombou a porta da cozinha, a solicitante pediu para ele sair da casa, com a negativa dele a solicitante falou que acionaria a polícia militar, e este falou “se você chamar a polícia assim que eu sair da cadeia eu vou te matar”. Diante dos fatos, o homem de 54 anos foi preso e encaminhado para 17ª SDP para as providências legais.

O segundo caso ocorreu às 14h37m na Rua Rio Goioerê, no Núcleo Habitacional Papa João Paulo I, em Apucarana. A equipe foi acionada, pois segundo a solicitante, seu ex-convivente, estaria lhe ameaçando, dizendo que iria dar um tiro em sua cara, enquanto ela tirava seus pertences do local. No endereço a equipe fez contato com a solicitante que confirmou as ameaças e disse que também tinha sido ameaçada de morte pelo primo de seu ex-convivente, este já havia se retirado da casa, mas retornou enquanto a equipe atendia a ocorrência, e no local passou a ofender a solicitante com palavras ofensivas, além de dizer que ela tinha sorte de estar saindo viva da casa. A solicitante disse que ambos quebraram vários objetos da casa, como um balcão de cozinha e alguns vasos, e que queria representar criminalmente contra ambos. Os homens de 25 e 26 anos de idade, receberam voz de prisão e foram encaminhados para a 17ª SDP para os procedimentos cabíveis.

O terceiro caso ocorreu às 15h18, na Rua Emílio de Menezes no Jardim Ponta Grossa, em Apucarana, onde a solicitante disse aos policiais que teve uma discussão com seu esposo, e durante a discussão ele desferiu dois tapas em sua face e deu ainda alguns empurrões. A solicitante optou por sair da residência e decidir posteriormente quanto aos fatos ocorridos.

O quarto caso ocorreu às 20h22, quando a equipe da PM, foi acionada pelo Copom que informou que na Rua Simeão Carranza no Núcleo Habitacional Marcos Freire, em Apucarana, onde um indivíduo teria sido contido pela família por estar tentando agredir a esposa. No local em contato com as partes os policiais encontraram duas femininas segurando o homem de 54 anos, as duas, passaram a relatar que ele estava bebendo desde o dia anterior, e que na noite anterior não conseguiram dormir por conta das agressões verbais dele, e no sábado chegou agressivo dizendo que ia buscar uma arma para matar sua esposa, neste momento iniciou-se uma confusão e o autor tentou pegar uma cadeira para agredir sua esposa, sendo então contido pelas filhas. Relata ainda que o homem deferiu tentativas de soco na mulher de 32 anos e também fez ameaças dizendo “você vai ver só, vou te pegar, você vai pagar por isso”. Ainda relata a esposa que já foi agredida fisicamente pelo autor em vezes anteriores e resolveu dar um basta nessas agressões antes que se tornem mais graves. Diante dos fatos foi dado voz de prisão ao homem de 54 anos e encaminhado até a delegacia de Polícia para as providências cabíveis.

O quinto caso ocorreu às 22h05 na Rua Magno Cavalcante Cerqueira, no Residencial Sumatra II, em Apucarana, a vítima relatou aos policiais que foi agredida pelo seu amásio, com socos na face e no abdômen, mas que o mesmo evadiu-se do local em uma motocicleta, antes da chegada da equipe da PM, a vítima não sabe relatar a placa ou modelo da motocicleta. A vítima foi orientada.

O sexto caso ocorreu às 22h25, na Rua Serra São Joaquim, no Núcleo Habitacional Adriano Correia, em Apucarana, a ocorrência foi repassado pela Central da PM, informando aos policiais que no endereço, vizinhos haviam relatando uma briga de casal, em contato com a possível vitima ela relatou que estava no Núcleo João Paulo com seu marido, onde iniciaram uma discussão que se estendeu até à chegada a residência, Informou ainda que não foi agredida, assim não tem interesse em representar contra seu marido, e que este já não estava mais no local quando a equipe chegou.

 

O que achou desta notícia ? Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *