16/04/2019

Combater o mosquito transmissor da dengue, o Aedes Aegypti, é uma tarefa que requer cuidados diários.

É preciso olhar com atenção para não deixar nenhum lugar com água parada dentro e fora das casas. “Queremos alertar a população para esta recomendação; é preciso eliminar também o lixo acumulado nos quintais e terrenos baldios. O Governo do Estado e os municípios estão agindo contra a dengue, mas é fundamental a participação da comunidade para acabar com os  focos do mosquito Aedes aegypti”, afirmou o secretário da Saúde, Beto Preto.

O boletim semanal da SESA que atualiza os números da dengue confirma mais dois óbitos em Londrina: um homem de 40 anos, morador da zona Leste da cidade, e uma mulher de 63, moradora da zona Sul; são casos autóctones,  o que significa que as pessoas contraíram a doença nos locais de residência. O município já tinha outras duas mortes confirmadas no mês passado.

O Paraná registra oficialmente 5 óbitos por dengue. O outro caso, também confirmado em março, é de Cascavel.
Além de Londrina, os municípios em alerta para epidemia são: Foz do Iguaçu, Cianorte e Jacarezinho. E os municípios com epidemia confirmada são: Missal, Anahy, Nova Olímpia e Andirá.
O levantamento da semana tem 561 novos casos no Estado. Agora são 3.114 casos confirmados contra os 2.553 da semana anterior.
Dez municípios apresentaram casos de autoctonia pela primeira vez: Irati, Marmeleiro, Santa Tereza do Oeste, Goioerê, Mamborê, Quinta do Sol, Brasilândia do Sul, Mariluz, Congoinhas, Nova Fátima e São Jerônimo da Serra.
Combate – A SESA segue com as ações de combate à dengue em parceria com os municípios em todas as regiões.  Profissionais que atuam na Vigilância em Guarapuava, Cascavel e Toledo receberam orientações sobre o combate ao mosquito Aedes Eegypti. As recomendações estão sendo retransmitidas para mais profissionais que trabalham em ações de combate nos municípios vizinhos e também para a população.
“Nossa mobilização é permanente com atividades de orientação de combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zíka vírus em todas as cidades, estamos orientando os municípios para que intensifiquem os mutirões de limpeza e a busca ativa por novos criadouros e focos”, afirmou Ivana Belmonte, da Divisão de Vigilância Ambiental da SESA.
O que achou desta notícia ? Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *