03/05/2019

Por estar localizada próximo de Londrina, cidade que já tem 760 casos confirmados de dengue e já registrou cinco óbitos, Apucarana ligou o sinal de alerta e montou uma operação que vai intensificar o combate à dengue.

Várias ações serão reforçadas nos próximos dias, como roçagem de terrenos vazios, recolhimento de entulho, pneus e lixo reciclável. Haverá também maior rigor na fiscalização e ações transversais, envolvendo diversas secretarias municipais e entidades.

A operação foi definida nesta sexta-feira (03/05), após o prefeito de Apucarana Junior da Femac convocar uma reunião que culminou na montagem da força-tarefa. Participaram do encontro, realizado no gabinete municipal, os secretários municipais de Saúde, Roberto Kaneta, de Meio Ambiente, Sérgio Bobig, e de Serviços Públicos, Jaime Gonçalves, além do diretor da Divisão de Endemias da Autarquia Municipal de Saúde, Mauro Aguiar.

As autoridades de saúde afirmam que uma das principais razões da preocupação é a localização do Município, próximo a Londrina, cidade para a qual muitos apucaranenses costumam se deslocar. “A cidade de Londrina tem mais de 760 casos confirmados e já registrou cinco óbitos. O Paraná possui 24 cidades com epidemia da dengue e há ainda outras 29 na eminência”, alerta Roberto Kaneta.

Em Apucarana, os casos confirmados também vêm crescendo. Se em fevereiro era apenas um caso confirmado, hoje já existem 22 confirmações de dengue e há ainda 81situações suspeitas. “Assim como acontece em todo o Paraná, o vírus circulante é o DEN-2 que produz as formas mais graves de dengue, como a hemorrágica”, reitera o secretário municipal de Saúde.

O prefeito Junior da Femac conclama a população a aderir à operação, colaborando com a limpeza dos quintais, correta destinação do lixo e especialmente com denúncias relativas ao descarte irregular de móveis e entulhos. “Conto com cada pai, com cada mãe, com as crianças, com os jovens e idosos. Conto com toda a população de Apucarana. O atual ciclo da dengue vai até julho, no entanto a nossa maior preocupação é quanto ao próximo ciclo. Se não combatermos agora de forma determinada o vetor da doença, que é o mosquito aedes aegypti, teremos sérios problemas no ano que vem”, ressalta Junior da Femac.

O mosquito vive por cerca de 30 dias, período em que voa em torno de 3 quilômetros, dentro de um raio de ação de 150 metros. “Isso significa que se o mosquito estiver numa casa, ele alcançará todos os moradores localizados nesta quadra. Ou seja, quem não cuida da sua residência coloca em risco, além da sua família, toda a vizinhança”, observa Junior da Femac.

O prefeito reforça que, a cada ano, a luta contra o vetor fica cada vez mais árdua. “Se antes o ovo precisava de água limpa para se desenvolver, agora isso já acontece em qualquer tipo de água, seja suja com óleo ou até com tinta”, observa Junior da Femac. Outro aspecto que chama a atenção é a longevidade: se os ovos estiverem num ambiente seco, eles resistem até um ano esperando água para se desenvolverem.

De acordo com dados da Divisão de Endemias, 38% dos focos da dengue são encontrados em ambientes externos, como lixo, sucatas, pneus, entulhos e ferro velho. Outros 30% são registrados nos quintais e dentro das próprias residências, como em vasos, garrafas e recipientes utilizados na alimentação de cães e gatos. “O combate à dengue exige uma mudança de hábitos por parte da população. É um cuidado que deve ser tomado diariamente, assim como escovar os dentes”, compara Junior da Femac.

PNEUS – Entre as medidas anunciadas, está a intensificação da fiscalização nas cerca de 20 borracharias existentes em Apucarana. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente irá vistoriar esses locais, verificando se os pneus inutilizados estão sendo destinados corretamente. “Iremos solicitar os comprovantes da destinação e faremos uma fiscalização orientativa. Existe um ecoponto instalado na Pneus Apucarana, localizada no Parque Industrial Norte, que integra o sistema da logística reversa”, explica o secretário municipal de Meio Ambiente, Sérgio Bobig.

ROÇAGEM – Diariamente, a secretaria de Serviços Públicos e a Divisão de Endemias da AMS recebem denúncias sobre terrenos baldios tomados pela vegetação. “São locais que não recebem os devidos cuidados dos proprietários e, por esse motivo, acabam virando ponto de despejo de lixo. Faremos a limpeza desses locais e depois o serviço será cobrado do proprietário, conforme fixado através de decreto municipal”, salienta o secretário municipal de Serviços Públicos, Jaime Gonçalves. Além de denúncias, os 39  agentes comunitários de endemias que percorrem os bairros identificarão também terrenos nesta situação, repassando a localização dos mesmos para a Secretaria de Serviços Públicos.

O custo da limpeza é de R$ 1,40 o metro quadrado e a retirada de entulhos custa R$ 190 por viagem de caminhão. Em caso da necessidade do uso de pá carregadeira, o preço estipulado está em R$ 209 por hora trabalhada.

ENTULHOS – Outra preocupação é o despejo irregular de entulhos, especialmente os restos da construção civil. “Além da questão da dengue, nestes locais são encontrados também normalmente o escorpião amarelo. A Secretaria de Estado da Saúde já emitiu um alerta informando que, se neste não forem adotadas medidas, no próximo ano poderá haver uma infestação do escorpião amarelo”, afirma Roberto Kaneta, secretário municipal de Saúde.

DENÚNCIAS – O prefeito Junior da Femac conclama a o população para colaborar com denúncias. “Se alguém flagrar o despejo irregular de entulho, móveis, retalhos de tecidos e de lixo faça a denúncia. Anote a placa do veículo e entre imediatamente em contato com a Guarda Municipal pelo 153 ou com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, pelo 3423-0142”, solicita Junior da Femac, afirmando que o Município punirá com rigor os infratores.

LIXO RECICLÁVEL – Nos próximos dias, a Prefeitura de Apucarana repassará mais dois caminhões para Cooperativa dos Catadores de Apucarana (Cocap). “Vamos convidar a Cocap a aderir a essa campanha. Todos – cidadãos e entidades – somos responsáveis pelo combate ao mosquito transmissor da dengue”, reitera Junior da Femac, afirmando que o reforço na frota dará melhores condições de atuação e aumentará a cobertura das equipes da Cocap.

AÇÕES TRANSVERSAIS – Todas as secretarias municipais serão envolvidas na operação. “Uma da principais ações será a educação sanitária junto a estudantes da rede municipal. Também vamos convidar as escolas particulares e as unidades da rede estadual, buscando sensibilizar as famílias através dos estudantes”, frisa Junior da Femac. Entidades também serão envolvidas, visando ampliar o leque de ações. “Vamos conversar com a Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Apucarana, visando reforçar as orientações quanto ao lixo gerado nos canteiros de obras e a correta destinação”, exemplifica o prefeito de Apucarana.

EVOLUÇÃO DOS CASOS

Janeiro – 20 notificações – 0 caso

Fevereiro – 29 notificações – 1 caso

Março – 35 notificações – 15 casos

Abril – 99 notificações – 7 casos

Total: 22 casos confirmados em 2019.

DICAS PARA COMBATER A DENGUE

Garrafas PET e de vidro: As garrafas devem ser embaladas e descartadas corretamente na lixeira, em local coberto ou de boca para baixo.

Lajes: Não deixe água acumular nas lajes. Mantenha-as sempre secas.

Ralos: Tampe os ralos com telas ou mantenha-os vedados, principalmente os que estão fora de uso.

Vasos sanitários: Deixe a tampa sempre fechada ou vede com plástico.

Piscinas: Mantenha a piscina sempre limpa. Use cloro para tratar a água e o filtro periodicamente.

Coletor de água da geladeira e ar-condicionado: Atrás da geladeira existe um coletor de água. Lave-o uma vez por semana, assim como as bandejas do ar-condicionado.

Calhas: Limpe e nivele. Mantenha-as sempre sem folhas e materiais que possam impedir a passagem da água.

Cacos de vidros nos muros:
 Vede com cimento ou quebre todos os cacos que possam acumular água.

Baldes e vasos de plantas vazios: Guarde-os em local coberto, com a boca para baixo.

Plantas que acumulam água:
 Evite ter bromélias e outras plantas que acumulam água, ou retire semanalmente a água das folhas.

Suporte de garrafão de água mineral:
 Lave-o sempre quando fizer a troca. Mantenha vedado quando não estiver em uso.

Falhas nos rebocos: Conserte e nivele toda imperfeição em pisos e locais que possam acumular água.

Caixas de água, cisternas e poços: Mantenha-os fechados e vedados. Tampe com tela aqueles que não têm tampa própria.

Tonéis e depósitos de água: Mantenha-os vedados. Os que não têm tampa devem ser escovados e cobertos com tela.

Objetos que acumulam água: Coloque num saco plástico, feche bem e jogue corretamente no lixo.

Vasilhas para animais: 
Os potes com água para animais devem ser muito bem lavados com água corrente e sabão no mínimo duas vezes por semana.

Pratinhos de vasos de plantas: Mantenha-os limpos e coloque areia até a borda.

Objetos d’água decorativos: Mantenha-os sempre limpos com água tratada com cloro ou encha-os com areia. Crie peixes, pois eles se alimentam das larvas do mosquito.

Lixo, entulho e pneus velhos: 
Entulho e lixo devem ser descartados corretamente. Guarde os pneus em local coberto ou faça furos para não acumular água.

Lixeira dentro e fora de casa: Mantenha a lixeira tampada e protegida da chuva. Feche bem o saco plástico.

O que achou desta notícia ? Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *