21/05/2019

A medida administrativa foi anunciada nesta segunda-feira pelo presidente, professor Molina, na presença dos vereadores, logo após a Sessão Ordinária.

O presidente da Câmara Municipal, professor Luciano Molina (REDE) na presença dos vereadores Mauro Bertoli, Rodolfo Mota, Edson da Costa Freitas, Antônio Carlos Sidrin e Antônio Marques da Silva, o Marcos da Vila Reis, anunciou, logo após a Sessão Ordinária, mais uma medida administrativa tomada pela Mesa Executiva. Desde ontem (segunda-feira 20/05), o legislativo não utiliza mais copos plásticos descartáveis para servir água e café e também galões de água, confeccionados à base de plástico, nas dependências da Casa de Leis.

A medida vem de encontro a política de preservação do meio ambiente e segundo informou o presidente Molina, “a decisão que tomamos foi discutida com os vereadores”. Recentemente também foi aprovada a Lei que proíbe o uso de canudinhos plásticos nos estabelecimentos comerciais de Apucarana que é de autoria do presidente Molina e do vereador Edson Freitas.

A partir da medida implantada, estão sendo utilizados apenas copos de vidro para tomar água, assim como xícaras de louça para servir o cafezinho. Dois bebedouros foram instalados no prédio da Câmara e a água servida é filtrada. “Instalamos um bebedouro no hall de entrada e outro no piso superior para atender o público e servidores. Todos os recipientes que estão sendo utilizados passam por um processo rigoroso de higienização através das servidoras encarregadas pela cantina”, detalhou.

Vilões do meio ambiente

A Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos (ABRELPE) estima que são consumidos, no Brasil, cerca de 720 milhões de copos descartáveis por dia. Isso equivale a aproximadamente 1.500 toneladas de resíduos.

Na Câmara de Apucarana, segundo levantamento, são consumidos 60 mil copos/ano de café e água e cerca de 200 galões de 20 litros de água/ano. “Também eram comprados cerca de 4.000 copos de agua por ano. Com essa medida estaremos economizando cerca de R$ 16 mil reais, até o final de 2020”, anunciou o presidente.

A maioria dos copos de plástico descartáveis utilizados no Brasil hoje são produzidos a partir de poliestireno, componente derivado do petróleo, uma fonte não renovável de matéria-prima. Produtos fabricados a partir desse material não são biodegradáveis e, por isso, resistem muito tempo no meio ambiente, podendo ultrapassar os 450 anos.

“A prática, a responsabilidade sustentável e o compromisso com o meio ambiente, devem começar com cada um de nós. Hoje começamos aqui no nosso local de trabalho, mas essas medidas também devem se estender em nossas casas, no nosso dia a dia”, completou Molina.

Uma ameaça ao meio ambiente

Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) revela que mais de oito milhões de toneladas de plásticos chegam aos oceanos todo ano e que, atualmente, o plástico representa 80% do lixo no oceano podendo causar a morte de várias espécies.

Os vereadores aprovaram a iniciativa. “É uma medida importante. Além da economia, ressaltamos a questão ambiental e a questão de saúde pública. Sabemos que esses recipientes, muitas vezes, após utilizados, acabam se perdendo pelas ruas, terrenos baldios e viram depósitos do mosquito transmissor da dengue. Temos que dar o exemplo e esperamos que outros órgãos públicos façam a mesma coisa, tenham a mesma iniciativa. Nós plantamos a sementinha. Precisamos preservar mananciais, preservar o meio ambiente, tomar iniciativas e a Câmara está de parabéns”, disse o vereador Marcos da Vila Reis.

O vereador Franciley Preto Godoi, Poim, aprovou a medida e reforçou que é um importante passo para a adoção de uma postura ambientalmente correta por parte da Câmara.

Mauro Bertoli, concordou. “É preciso substituir esses e se possível outros materiais por biodegradáveis. Um plástico pode demorar até 400 anos para decompor e isso nos preocupa. A Câmara de Apucarana sai na frente e a medida é muito bem-vinda. Parabenizo a presidência”, finalizou Bertoli.

Simone Penharbel – Assessoria de Imprensa / Câmara Municipal de Apucarana

O que achou desta notícia ? Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *